Ano Nacional do Laicato, por Dom Aldo Pagotto, sss

Janeiro 26, 2018 Adriano No comments exist

“Cristãos leigos e leigas a serviço do Reino numa Igreja em saída” é a temática que inspira a Igreja Católica no Brasil a celebrar o “Ano Nacional do Laicato” em 2018. Cristãos leigos e leigas são fiéis batizados aos quais Jesus Cristo participa sua vida e missão profética, sacerdotal e régia Jesus afirma aos que se tornam seus discípulos, testemunhas do seu Evangelho, serviçais do seu Reino: “vocês são “sal da terra e luz do mundo” (cf. Mt. 5,13-14). Fazer-se testemunha de Cristo comporta na experiência de conversão e compromisso de transformação. Trata-se do processo de iniciação e militância cristã. Muitos batizados não são suficientemente evangelizados, nem são acompanhados na fé e nas práticas que integram a fé e a vida cristã.

O fiel que é batizado deve percorrer o processo de conversão e compromisso cristão de transformação. Esse percurso corresponde ao aprendizado prático, levando os féis a vivenciarem o Mistério de Cristo: sua Encarnação, Vida, Paixão, Morte redentora e Ressurreição. A doutrina cristã divinamente revelada se consubstancia no Credo professado, nos Sacramentos celebrados na Liturgia e no comportamento moral, assumido de forma consciente e responsável.

Senhor e Redentor da humanidade, Jesus Cristo delega a continuidade da sua missão redentora aos que o seguem: “anunciar seu Evangelho, fazer discípulos seus todas as nações; batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinar a praticar tudo o que Ele ensinou” (cf. Mt. 28, 16 ss). Evangelizados, nos tornamos evangelizadores, movidos pela luz do Espírito Santo. A obra de salvação de Cristo é sinônimo da restauração da humanidade no seu amor, sua verdade, sua justiça, sua paz que, porém, não se confunde com um projeto político partidário.

O processo de conversão e compromisso cristão é prerrogativa para que a vida cristã se desenvolva, a partir da família, a igreja doméstica. Dificilmente conseguiríamos viver os valores humanos e cristãos na sociedade se não os vivermos a partir da família! As comunidades cristãs se constituem e se congregam num processo de formação na ação. As lideranças cristãs priorizam a formação na ação, integrando as dimensões: bíblica, catequética, sacramental e moral. A formação na ação se depara com limitações, condicionamentos e ameaças interiores e exteriores, bem como, com oportunidades e desafios.

Todo projeto evangelizador e pastoral se concretiza num planejamento estratégico. Nossas cujas crenças e valores apontam um objetivo, critérios e de meios concretos, deixando bem claro as metas e resultados a serem alcançados. O que fazer, para qual público alvo? Quem vai fazer o que (divisão das responsabilidades)? Com quais recursos humanos, técnicos e financeiros? Quando (etapas)? Onde (espaços)? Avaliação e ajuste do projeto vivido e celebrado.

Considerando os âmbitos da Igreja, o “Ano Nacional do Laicato” prevê a realização de seminários temáticos, a publicação de subsídios catequéticos para celebrações, o envolvimento dos meios de comunicação, o cuidado com a vida e o bem comum, o diálogo com os diferentes sujeitos da sociedade. No âmbito eclesial, prevê-se que as dioceses, os regionais, as paróquias, comunidades, pastorais, movimentos e demais expressões e organismos de comunhão do povo de Deus cuidarão da formação de serviços e ministérios leigos de coordenação, animação de comunidades, pastorais, movimentos; fortalecimento e articulação das redes de comunidades cristãs e estabelecimento de Conselhos Regionais e Diocesanos de Leigos.

No âmbito social, os cristãos leigos e leigas atendam ao chamado de Jesus, para uma “Igreja em saída”, ou seja, uma igreja serviçal, ajudando a sociedade brasileira a se mobilizar, através dos canais participativos na gestão e controle social, em iniciativas tomadas nos conselhos de direitos, em audiências públicas, referendos, plebiscitos, no acompanhamento no Legislativo, apostando na realização da auditoria cidadã da dívida pública. Cabe aos responsáveis de cada Igreja particular organizar o Ano Nacional do Laicato, tempo favorável para a capacitação de lideranças cristãs, em função da Evangelização e da promoção da dignidade da vida humana.

+ Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo emérito da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *