Mais de 90 mil fiéis participam da missa de encerramento do XVI Congresso Eucarístico Nacional

Foram quatro dias de oração, adoração e vivência eucarística; quatro dias de missas, debates, oficinas, conferências, formações, eventos culturais e feiras – tudo centrado em Jesus Cristo. Entre os dias 13 e 16 de maio, Brasília foi o altar do Brasil.
O encerramento do XVI Congresso Eucarístico Nacional, realizado na capital, aconteceu com uma grandiosa missa no domingo (16). O sol forte e o calor de mais de 30 graus não intimidou os fiéis: 91 mil pessoas tomaram a Esplanada.

Por toda parte, crianças, jovens, idosos, famílias inteiras, amigos, grupos de oração, grupos de freiras e de frades, seminaristas e diáconos iam se ajuntando perante o grande altar monumento. Jovens vendiam água e café a fim de arrecadar dinheiro para participar da Jornada Mundial da Juventude em 2011. Voluntários corriam, sempre sorridentes, para desempenhar suas tarefas: orientar os peregrinos, distribuir folhetos, organizar a liturgia, divulgar as notícias, resolver os problemas.

A Missa:
Às 9h30min, o coral e o povo entoaram o hino do XVI CEN, milhares de balões foram aos céus e uma salva de 12 tiros de canhão saudou os bispos, que se dirigiram, em procissão, ao altar monumento.
Começava a missa de encerramento do Congresso Eucarístico Nacional de 2010, presidida pelo legado do Papa, o cardeal Dom Cláudio Hummes. Também estiveram presentes na celebração algumas autoridades como parlamentares e ministros dos tribunais superiores.
“Queremos louvar e agradecer a Cristo pelos dias e horas deste Congresso, em que pudemos sentir de perto a presença do Senhor Jesus e o calor de sua acolhida”, disse Dom Cláudio Hummes em sua homilia. “Somos seus discípulos e discípulas. Ele quer contar conosco. Cada um e cada uma de nós, segundo seu estado de vida e profissão, fará sua parte nesta missão. Então, a Igreja do Brasil será florescente e tantos que dela se afastaram irão reencontrar seu lugar à mesa do Senhor, na Igreja que um dia, no passado, os recebeu e os batizou”, continuou.
Dom Cláudio ressaltou a importância de que todos sejamos bons discípulos – assim, também sejamos missionários, colaborando para levar o Evangelho a todos os povos – ele insistiu que não basta conservar as comunidades que temos, ainda que isto seja importante.
Durante sua homilia, Dom Cláudio – que, na Santa Sé, é prefeito da Congregação para o Clero – exortou os sacerdotes a se inspiraram nos padres santos e beatos da Igreja no Brasil, como São Frei Galvão e, o beato Padre Eustáquio. “Caros padres, a Igreja espera muito de cada um dos senhores para esta missão urgente. Mas podem também ter a certeza de que a missão os ajudará também a sentirem-se mais padres e a entenderem melhor sua identidade e a serem mais felizes no ministério”. E segundo, o cardeal, os destinatários principais dessa missão são os pobres.
O legado do Papa ainda destacou, em sua homilia, a importância de participar fervorosamente da missa no domingo. Nesse contexto, ele relembrou os brasileiros do Rio Grande do Norte que foram martirizados no século XVII durante a celebração dominical da Santa Missa e posteriormente beatificados pelo Papa João Paulo II. “Deveríamos torná-los mais conhecidos e venerados, porque nos ajudariam a amar e valorizar o domingo e a Missa dominical”.
Ao final da missa, Dom Cláudio Hummes disse estar agradecido pelo Papa Bento XVI tê-lo enviado ao XVI CEN como seu representante e garantiu que o Santo Padre ficará muito feliz ao saber da beleza do Congresso e da devoção como todos adoraram a Cristo e escutaram sua palavra. O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Geraldo Lyrio Rocha agradeceu, em nome de todos os bispos, pela acolhida em Brasília e anunciou, ao lado de Dom Alberto Taveira, arcebispo de Belém, que o próximo Congresso Eucarístico Nacional vai acontecer na capital paraense.
O arcebispo Dom João Braz de Aviz agradeceu a Dom Cláudio Hummes por sua presença e participação no Congresso e presenteou-o como um cálice e uma patena. Também pediu-lhe que lhe levasse ao Papa Bento XVI um presente: a imagem de Nossa Senhora Aparecida que veio do Santuário Nacional. Dom João também agradeceu a todos os que participaram do Congresso e colaboraram para a sua realização. “Diante da Cruz, pedimos ao Senhor para que, para sempre, Ele fique conosco em Brasília”, concluiu o arcebispo de Brasília.
Por Moisés Nazário,com Juliana Capêlo e Maria Cristina Costa

Deixe uma resposta